Orgasmo feminino – A importância de se falar no assunto

orgasmo feminino

Quando a mulher apresenta alguma queixa relativa à sua vida sexual, a mais frequente é, sem sombra de dúvida, a dificuldade de chegar ao orgasmo. As mulheres têm mais facilidade em alcançá-lo com o sexo oral ou outras carícias, mas ficam frustradas por não desfrutá-lo com a penetração.

Hoje em dia, o sexo feminino dispõe de mais espaço na sociedade e com o advento da pílula anticoncepcional ganhou também uma liberdade que há algumas décadas era inimaginável.

Finalmente a mulher conquistou seu direito ao prazer! Mas será este direito suficiente?

Nos filmes e novelas, os casais parecem ter relações sexuais e êxtases logo no dia em que se conhecem, o mocinho mal toca a mocinha e está já suspira de prazer.

O que acontece quando as coisas não se passam exatamente desta maneira? Muitas mulheres chegam a achar que há algo de errado com elas e mal comentam o assunto com o parceiro ou com amigas. A grande maioria das que ousam procurar alguma ajuda confessam nunca terem conversado a respeito com o parceiro e chegam até a fingir o orgasmo, aumentando assim a frustração.

Os motivos de tal silêncio são vários; o maior deles é o medo da rejeição ou o sentimento de culpa, a crença de que deve haver algo de errado com ela. Os dados estatísticos apontam que 30 a 60% das mulheres não têm orgasmos. Na minha opinião esta estatística tem dados difusos porque não define exatamente o que vem a ser a ausência de orgasmo: pode ser uma anorgasmia total (a mulher nunca soube o que é um orgasmo) ou pode ser uma dificuldade em atingi-lo com o parceiro (mas sozinha, com a masturbação, chega ao orgasmo).

Vemos em workshops e aulas de pompoar, tantra e ginástica sexual feminina, a queixa de dificuldade em atingir o orgasmo com muita frequência. Alguns métodos como o aconselhamento sexual, florais, e, principalmente, exercícios. É necessário fazer um trabalho de musculação íntima!

Sim, o fortalecimento da musculatura circunvaginal. Tal fato é facilmente explicável: para que o orgasmo ocorra, são necessárias as contrações vaginais, e quanto mais forte for a musculatura, mais intensos serão os orgasmos.

As melhores técnicas para adquirir força são, sem dúvida, o pompoar, a tantra yoga, exercícios chineses para a saúde e exercícios fisioterápicos.

Muitas alunas na primeira aula, não acreditam no poder dos exercícios, mas com o passar das semanas reparam que estão tendo muito mais prazer, além de receberem elogios do parceiro, pois o prazer das mulheres aumenta e a satisfação do homem também.

E cada vez chegam mais próximo ao orgasmo até de fato alcançá-lo sem problemas e até repetidas vezes numa relação (o que denominamos orgasmos múltiplos). Mesmo as mulheres que não apresentavam dificuldade alguma relatam que os orgasmos passaram a ser mais intensos e em maior número.

É importante lembrar que os exercícios, além de proporcionar grande ajuda na sexualidade, são terapêuticos, de reabilitação, e também preventivos para que a vagina não fique frouxa ou que haja a queda da bexiga, prolapso do útero e incontinência urinária. Estes problemas são muito frequentes em mulheres que já tiveram parto normal e podem ser tratados com a ginástica, que é uma alternativa muito atraente para evitar a cirurgia do períneo.

Além disso, os exercícios facilitam também no pré-parto, para um parto mais tranquilo e no pós-parto para reabilitação.